Pinotage – a uva da África do Sul

Hoje começa mais um tema no site: o mundo dos vinhos. Serão matérias sobre uvas, vinhos, vinícolas, serviço, harmonizações e tudo mais que cerca esta preciosa bebida.

mapa

A África do Sul e o mercado de vinhos

A história do vinho sul-africano  é diretamente relacionada com a política local.

Em 1600, a África do Sul, ainda sob o domínio de seus colonizadores holandeses, ingressou no mundo dos vinhos.

A coisa foi prosperando e por volta de 1800 ficou conhecida por seus agradáveis vinhos doces.

No século XX, tornou-se popular produtora de “sherries” – vinho fortificado e de vinhos brancos baratos.

A indústria vinícola do país  só foi impulsionada após a Cooperativa dos Produtores de Vinhos da África do Sul, que funciona desde 1918, ter, na década de 90, seus poderes limitados. Este órgão ao invés de servir para desenvolver o setor, fazia com que a atividade  ficasse estagnada e sem progresso. Só assim os vinhos aumentaram a qualidade, tornaram seus preços competitivos e surgiram novas plantações.

O fim do apartheid, acabou com o cerceamento ao suprimento de boas uvas e à própria terra para semeá-las, já que este antigo regime fazia também sanções a importação de uvas viníferas de boa qualidade. Isso ajudou a viti-vinicultura sul-africana a rivalizar com a Austrália e Califórnia.

Apesar dos vinhedos da África do Sul terem estado voltados para a produção de uvas para destilados e vinhos baratos, a plantação de uvas mais comerciais, como a Sauvignon Blanc e Chardonnay ganharam impulso rápido depois das alterações políticas em 1994.

A partir de 1998, as boas condições do clima – dias quentes e noites frias e do solo da região propiciaram o aparecimento de bons vinhos.

Mas, também,  existiram fatores que foram um entrave para o desenvolvimento dos vinhedos como uma infecção por vírus que impedia o amadurecimento das uvas e tornava os vinhos produzidos bastante tânicos. Por longo tempo, o consumo do vinho foi baixo, fazendo com que o conhaque fosse a estrela.

O cenário atual é completamente diferente: as videiras antigas foram substituídas por outras de boa qualidade e plantadas em terrenos escolhidos para tal.

A Pinotage pode ser considerada a uva emblemática da África do Sul.

História da Pinotage

É uma variedade originária da África do Sul, criada em 1925, por Izak Perold (1880 – 1941).

A combinação de “Pinot”, da uva Pinot Noir e “age” de Hermitage, apelido dado à variedade Cinsault, uvas clássicas francesas, resultou em Pinotage.

A criação da variedade é cercada por fatos pitorescos, como o do criador ser um sul-africano, descendente de franceses, PhD em Química, que após o cruzamento das cepas gerou somente quatro sementes, que foram plantadas no jardim de sua casa, e não no laboratório da universidade.

No início, o vinho produzido com a Pinotage não agradava a muitos paladares. Era escuro e perfumado.

Em 1959, um vinho tinto à base desta uva foi o campeão de um concurso local, chamado Young Wine Shows, o que significou um grande incentivo para que muitos produtores, até então inexperientes com essa variedade, pudessem oferecer um vinho de melhor qualidade.

Em 1991, um Pinotage foi reconhecido como o melhor dos vinhos no International Wine and Spirit Competition, em Londres.

Em uma jogada de marketing, os produtores sul-africanos resolveram investir em misturas de uvas e este vinho  foi favorecido, devido sua junção com variedades de Bordeaux, resultando na denominação Cape Blend ou “mistura do Cabo”. Isso fez com que ele ganhasse prestígio no mercado mundial.

Pinotage

Características da uva

Tem bagos pequenos, cônicos, pretos com tonalidade azulada, o que a torna rica em pigmento, polpa macia, pele espessa e cachos bem compactados.

Sua maturação é precoce e contém altos níveis de açúcares.

É um tipo de uva de difícil trato, pois necessita de vinhas velhas, com baixa produtividade e de um manuseio cuidadoso.

Taça pinotage

Produz um vinho de cor vermelho rubi intenso, profundo, límpido e brilhante.

A uva pode ser também vinificada como vinho fortificado e espumante tinto.

O vinho

É um vinho de personalidade. Existem aquelas pessoas que agradam do seu paladar e aqueles que o desprezam.

Tem notas frutadas, com a presença de framboesa e de mirtilo, o que o faz harmonizar muito bem com comidas apimentadas, além de toques de fumaça e com alcaçuz predominante. Após envelhecido aparecem notas de banana, manga e chocolate. Esta última o faz combinar com o mesmo ingrediente.

Pode ser harmonizado também com carnes vermelhas, caças, massas com molhos cremosos e pratos à base de cogumelos, quando com corpo mediano. Os vinhos mais encorpados combinam com carnes assadas, queijos maduros e aves com sabores marcantes. Mas de maneira geral, pode ser bebido com a maioria das comidas.

É considerado um vinho agradável.

A produção

Na África do Sul a produção corresponde a cerca de 6% da plantação e, atualmente, a Pinotage está sendo plantada na Nova Zelândia, na Califórnia e no Brasil.

 

Tagged , , ,

4 thoughts on “Pinotage – a uva da África do Sul

  1. Parabens. Excelente matera

    1. Obrigada, Orestina.

  2. Ótima matéria Denise!
    Parabéns pela iniciativa!
    Suas matérias são maravilhosas!
    Sucesso!!!
    Grande abraço!
    Maicon

    1. Obrigada. Maicon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *