Gastronomia: a profissão do momento

Segundo o Dicionário Aurélio, a Gastronomia pode ser definida como o “conhecimento teórico e prático acerca de tudo que se diz respeito à arte culinária, as refeições apuradas e aos prazeres da mesa.”

Nunca o assunto ficou em tanta evidência e parece que tão cedo sairá de cena.

Os números apontam para esse caminho: 45 mil postos de trabalho estão à disposição para aqueles que querem enfrentar uma cozinha; 9.633 novos alunos ingressaram nas faculdades de Gastronomia e 115 cursos superiores surgiram nos últimos 10 anos, de acordo com a Revista Época, de outubro de 2014.

No ranking da Revista Exame, entre 41 países, 11 têm carência de mão de obra para hotelaria e restaurantes. Entre eles a França, um dos berços da culinária.

Isso demonstra que só não há vagas para quem não aproveita as oportunidades.

Se observarmos a trajetória dos ensinamentos de Gastronomia no Brasil, vamos ter a confirmação deste panorama.

No início as receitas eram segredos de família. Os cadernos que as continham eram repassados de mãe para filha.

O livro Da Mandioca à Pizza aponta que, entre 1920/1940 , as receitas só eram publicadas nas páginas femininas dos jornais, nas revistas dirigidas às mulheres e em poucos livros.

Entre 1940/1950 a veiculação passou a ser através dos programas de rádio.

Em 1950, a televisão chegou ao Brasil e a programação das tardes ficou por conta de aulas de cozinha.

Em 1968, chegou às bancas o primeiro fascículo da Coleção Bom Apetite – com 4 mil receitas. Isso ampliaria definitivamente o cardápio nacional.

Nos anos 80, os livros de receitas culinárias começam a proliferar, passando a ser encontrados não somente em livrarias como também em supermercados.

Desta forma toma conta da mídia.

Novelas como Império e Babilônia, veiculadas pela Rede Globo, têm personagens que trabalham em cozinhas.

Os programas de TV voltados para o tema tem todas as formas de apresentadores: celebridades, atores, cozinheiros renomados, donos de restaurantes, gente que na maioria das vezes não entende das técnicas culinárias. Estão ali aproveitando o momento e o espaço não ocupado por aqueles que se dedicam a estudar e praticar de forma profissional.

Para o cinema o tema serviu como pano de fundo para diversos roteiros nacionais e internacionais. Alguns com expressiva bilheteria e fama, como é o caso de Ratatouille.

As publicações impressas vão de colunas e encartes em jornais e revistas, guias com indicação de estabelecimentos de alimentos e bebidas com definição dos melhores por categoria, revistas especializadas, revistas institucionais que produzem matérias sobre o tema como atrativo, revistas populares só com receitas e algumas que utilizam promoções que oferecem artigos de cozinha como brinde, além de publicarem matérias sobre almoços e jantares executados por famosos cozinheiros.

O tema Gastronomia é capa para muitas publicações reconhecidas, tais como Época, Cult, Super Interessante, Veja.

CAPA-ÉPOCA

No segmento dos livros vamos ter uma infinidade de títulos abordando técnicas, gestão, receitas, história e dicionários desvendando os segredos dessa incrível arte.

O Turismo Gastronômico passou a ser olhado com bons olhos pelos promotores de eventos e pelas prefeituras. Aonde tem um produto ou preparação típica tem um evento gastronômico. E com eles turistas e injeção na economia local. Alguns contam com a participação estrangeira de renomados profissionais, como o Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes – MG.

A participação de Minas Gerais em eventos no mundo afora tem ajudado a difundir a Gastronomia Regional.  O estado foi o convidado de honra do Madrid Fusion, o maior evento relacionado à Gastronomia, realizado na Espanha em 2013.

Neste mesmo ano a Gastronomia Mineira foi apresentada na Feira de Livros de Frankfurt para um público estimado em 300 mil pessoas.

Além da participação em festivais no Uruguai e Argentina, no ano de 2015, já teve duas vitrines importantíssimas: a Gastronomia Mineira foi tema da Escola de Samba Salgueiro – 2a colocada no Carnaval do Rio de Janeiro e  a participação em março da Feira do Livro em Paris.

Os eventos produzidos em Belo Horizonte relacionados à área são inúmeros: Botecar, Comida di Buteco, Brasil Sabor, Restaurant Week, Boa lembrança, Festa Italiana, festa Portuguesa, Fartura, Gastropark e por aí vai.

As redes sociais servem para a postagem de fotos de pratos, compartilhamento de receitas e preparações, além de veiculação de matérias sobre o tema e divulgações variadas sobre o ramo da alimentação.

O cozinheiro, Alex Atala, em seu livro Escoffianas Brasileiras escreve que “os profissionais de cozinha vivem um momento de transição. Com o surgimento de escolas especializadas e o glamour que cerca a atividade, saímos da informalidade e viramos profissionais reconhecidos.”

Capa-198_Revista-Cult

As escolas de formação profissional oferecem cursos de capacitação, técnicos, graduação, extensão e pós-graduação na área de Gastronomia e afins.

Os profissionais ao ingressarem no mercado de trabalho terão como opção para área de atuação os eventos gastronômicos; personal chef;  cozinhas industriais e institucionais; hotéis, bistrôs, restaurantes e similares; atuar como docente, críticos e escritores; pesquisa e desenvolvimento e prestar consultorias.

Para o célebre Ferran Adriá, “é a profissão mais versátil do mundo. Como cozinheiro você de ajudar a população carente, pode contribuir com a cultura de sua terra e até a comunidade científica.

download

Só que nem tudo são flores. Por trás das caçarolas existem os pontos negativos.

Tagged , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *